segunda-feira, 22 de Outubro de 2007

Doenças:

Doenças.

É a maior dor de cabeça de qualquer aquáriofilista, seja ele de peixes tropicais em geral ou só do nosso querido betta splendens.
Vou começar por relevar que a maioria das doenças que atacam os nossos bettas podem ser muito mais facilmente prevenidas com um bom estado da agua e uma boa e saudável dieta alimentar, do que o ter que utilizar qualquer tipo de tratamento, que ate por vezes são insuficientes e acabam sempre por deixar o peixe passar por algum sofrimento durante um determinado tempo e ate em alguns casos ser insuficiente e acaba por morrer.
Vamos dividir as doenças por dois grupos que são as:

Doenças parasitarias, bacteriológicas e derivada por fungos.
Doenças causadas por má alimentação.


Doenças parasitarias, bacteriológicas e derivada por fungos:

Íctio, ou doença dos pontos brancos: a causa de esta doença é devido a mudanças bruscas de temperatura na água, esta é facilmente detectada numa fase inicial quando o peixe esfregasse em tudo o estiver no seu alcance sejam objectos decorativos, tubos, plantas, etc. também o pouco apetite, barbatanas fechadas e a respiração mais repetitiva. Logo no segundo estágio da doença aparecem os pequenos pontos brancos na pele do peixe, é aqui que na realidade percebemos porque o peixe tinha aqueles sintomas todos.
Tratamento: o tratamento de esta doença é bastante fácil, consiste em aumentar a temperatura do aquário com o peixe infectado entre os 30ºC aos 32ºC para aumentar a velocidade de reprodução da bacteria que esta alojada na pele do peixe, logo que abandona a pele do peixe para o fundo do aquário, durante pelo menos três dias que é o tempo de gestação do parasita a esta temperatura. E já que só é possível combater este no estado médio do desenvolvimento a quando nada livremente pelo aquário por isso em simultâneo e durante estes três dias vamos adicionar um parasiticida (eshaexit) que eliminara todas as larvas existentes no estado de nado livre, é aconselhado após este tratamento mudas parciais de agua ate acharem que encontra-se fora de perigo o nosso peixe.

Oodiniose ou doença do veludo: esta doença também por norma é causada por mudanças bruscas de temperatura da agua do aquário e os sintomas muitos parecidos com os anteriormente descritos, falta de apetite, barbatanas fechadas a respiração mais repetitiva e mais a falta de equilíbrio ao nadar, mas também a presença de pontos que mais parecem pequenos flocos de algodão de cor amarelada, e uma doença bastante contagiosa e de fácil contagio, isto acontece quando temos ao nosso peixe betta junto a outros que poderão ser contagiados rapidamente, por isso temos que actuar rapidamente.
Tratamento: adicionamos na água do aquário infectado um bom produto durante o tempo necessário para o tratamento dos fungos (eshaexit e ou esha 2000)

Costiose ou costia: esta doença é causada por vários protozoários, e o peixe apresente sintomas de corpo com aspecto esbranquiçado ou nebuloso, falta de apetite e presença de ramificações vermelhas nas nadadeiras em aquários com algum movimentos na agua costuma localizar-se nas correntes existentes com uma natação ininterrupta, caso não exista nenhuma corrente este ficam junto ao fundo ficando com uma cor apática e uma vez por outra nadam bruscamente para a superfície para respirarem. E em alguns casos extremos perda de tecido que poderá ficar em carne viva.
Tratamento: é adicionado na água aquário infectado um bom produto durante o tempo necessário para o tratamento dos fungos (esha 2000)

Saprolegniose ou doença do algodão: O peixe apresenta tufos semelhantes a algodão na superfície do corpo especialmente na região da boca e olhos e também desenvolvem-se nas brânquias, é derivada por uma bactéria chamada de “flexibater” esta ao penetrar na pele do peixe libertam enzimas que acabam no apodrecimento do tecido em causa, e se for o caso de infecções nas brânquias os peixes morrem rapidamente por asfixia. É uma doença altamente contagiosa espalhando-se facilmente pelo aquário.
Tratamento: com um antibiótico em conjunto a um bom fungicida e logo que detectada a doença (esha2000)

Hidropsia (barriga-d’água): vou tentar ser directo, rápido e sem muitos rodeios, porque? Por ser a única doença que considero como sendo o “cancro” dos peixes em estado avançado ou terminal, por ser um conjunto de sintomas e sinais que surgem no decorrer de certas doenças que vão alterar todos os órgãos internos e ocorre quando há retenção de aguas nos tecidos externos como a pele e alastrando-se rapidamente, e só conseguimos aperceber-nos ou diagnosticar a quando do inchaço e as escamas totalmente eriçadas. Conforme o passar dos dias e digo muitos dias porque o peixe sofre durante longos e lentos dias, vai-se deplorando cada vez mais enquanto os órgãos internos do peixe começam a falhar lentamente causando desta maneira uma morte lenta e dolorosa.
Tratamento: existe no mercado vários produtos que descrevem a melhor maneira de a tratar e como a tratar, eu pessoalmente e como já afirmei anteriormente, como sendo uma doença com um indeterminado conjunto de anomalias a nível dos órgãos internos não vejo tratamento possível, já ouvi varias versões de pessoas que dizem terem salvado o peixe desta terrível doença, mas sinceramente não acho possível, basta só fazer uma pesquisa bastante aprofundada e estudar um bocado sobre a patologia dela, que ficam logo com um esclarecimento mais completo. Em esta, e só em esta doença é que concordo plenamente com o uso da eutanásia, já que evita o sofrimento lento e prolongado do peixe.


Doenças causadas por má alimentação:


A doença da bexiga natatória: são doenças que não são contagiosas, e em que o peixe deixa de ter uma natação sincronizada e muito desajustada, isto deve-se em primeiro lugar a uma má nutrição do peixe principalmente causada pela pouca variedade em nutrientes, em outros casos a super alimentação também pode levar com que aconteça. Normalmente é impossível a sua cura, morrendo em pouco tempo o peixe.
Tratamento: mais que tudo temos que prevenir dando aos restantes uma dieta diferente, tanto em proteínas como em vitaminas, também temos que evitar dar em muita quantidade e durante muito tempo o mesmo tipo de alimento.

Doença dos olhos Inchados (Pop-eye): é quando o olho do peixe apresenta-se como se quisesse sair e um bocado fosco, não é contagiosa nem fatal para o peixe mas temos que a tratar logo. A causa deve-se a má qualidade da agua tanto por excesso de excrementos como restos de alimento não consumido.
Tratamento: eu primeiro que tudo troco a agua do aquário diariamente em 50%, e de cada vez que faço-o coloco umas gotas de aloé vera na proporção de uma gota por cada litro.



Para concluir é de salientar que cada vez que surgir alguma infecção em algum dos nossos peixes, por vezes temos que desinfectar os aquários, redes e todos os materiais que mantiveram algum contacto com o peixe, em certos casos utilizo uma mistura de formol com água na proporção de 5ML de formol para cada litro de água, logo de seguida lavar com abundante água para assim retirar algum vestígio de formol. Em outros casos lavar com abundante água é suficiente, e nunca utilizando algum tipo de detergente ou lixívia.